Arquivo de julho, 2011

A ARTE DE SE DAR BEM COM AS PESSOAS

Publicado: 28 de julho de 2011 em Motivação

Mais cedo ou mais tarde, o ser humano se for sábio, descobre que a vida é uma mistura de dias bons e ruins, vitórias e derrotas, generosidade e humildade. Aprende que não compensa ser uma alma melindrosa, e que não deve esquentar a cabeça com tudo. Aprende que aquele que se irrita à toa geralmente é o mais prejudicado, e que todos os seres humanos, de vez em quando, precisam comer pão duro, e que não vale a pena levar o mau-humor dos outros a sério o tempo todo.

Aprende que ser muito suscetível é a maneira mais fácil de se meter em encrencas; que o jeito mais rápido de se tornar uma pessoa antipática é passar fofocas adiante; que não assumir responsabilidades costuma ter o mesmo efeito dos bumerangues; que não importa tanto quem fica com o crédito, desde que o trabalho seja bem feito.

Aprende que a maioria das outras pessoas é tão ambiciosa quanto ele; que elas têm um cérebro tão bom quanto o dele; que o trabalho duro, e não a malandragem, é o segredo do sucesso. Aprende que ninguém chega sozinho a lugar nenhum, e que só por meio de esforços conjuntos podemos alcançar o melhor.

Percebe (em resumo) que a “arte de se dar bem” depende cerca de 98% de seu próprio comportamento em relação aos outros.

O texto acima foi transcrito por John C. Maxwell em seu livro Vencendo com as pessoas, quando o li achei maravilhoso, e decidi compartilhar aqui no blog. E acrescento que  antes de querer mudar os outros devemos mudar a nós mesmos,  na maioria das vezes o que nos incomoda nos outros é um reflexo do que somos. No evangelho de cristo diz que não devemos nos conformar com este mundo, mas que devemos muda-lo com a renovação do nosso entendimento. Ele nos orientou a renovarmos o nosso entendimento, e que isso mudaria o mundo. Então vamos renovar o nosso entendimento conforme o texto acima, e assim mudaremos o mundo a nossa volta.

Um carinhoso abraço fraterno!

Andréia Lima


Observa-se a dificuldade dos colegas que cursam Segurança do Trabalho em conseguirem um estágio e o primeiro emprego.

Quanto ao estagiário verifica-se que algumas empresas não o valorizam como deveriam, algumas nem se propõem a contratar, e as que contratam é para realizar serviços que não tem nada a ver com a função. Não se deve generalizar, mas na maioria das vezes é assim que acontece.  Com certeza se realizar um processo seletivo adequado, é possível  contratar estagiário que possue, um grande potencial e que se lapidado de maneira correta, pode-se revelar um futuro colaborador, capaz de agregar muito ao quadro de funcionários da empresa, se não de imediato, mas em oportunidades futuras. Isso sem contar que tem empresas, com seus profissionais contratados há muitos anos, que não se reciclam, e que poderiam fazer uma excelente troca, com os estagiários, lhes passando sua experiência na área, e absorvendo as atualidades que trazem os que estão estudando.

O primeiro emprego então, infelizmente parece que é quase impossível. Sempre pedem experiência, agora digam, como pode ter experiência, se não há oportunidade de adquiri-la. Existem profissionais formados há tantos anos que vão ao trabalho apenas, para cumprir o horário, não se preocupam com a legislação, com a documentação legal da empresa, com os cronogramas de documentos importantes como PPRA, treinamentos e outros. Enquanto está cheio de profissionais recém formados, querendo trabalhar, com vontade de aprender e por em prática, seus conhecimentos. Aí fica a pergunta, é melhor ter um profissional experiente, acomodado e preguiçoso? Ou ter um recém formado com vontade, determinação e responsabilidade?

Em nem um momento há a intenção de se dizer que profissionais experientes, são acomodados e preguiçosos, mas que existem muitos assim ocupando a vaga de quem merece, e  está ansioso por uma oportunidade, com certeza há. E se souber mesclar a experiência com a vontade de quem esta começando, seria possível criar equipes excelentes, de prevenção a saúde e a  integridade física dos colaboradores.

Um carinhoso abraço fraterno!

Andréia Lima


Quem já passou por aqui, pode perceber que sou apaixonada pela minha profissão e pela benção que é a “VIDA”. Sou a unica mulher na construtora onde trabalho, imaginem como foi para eu conseguir atuar efetivamente na área de segurança, quero compartilhar com vocês algumas dicas que abrem as portas na atuação do Técnico de Segurança.

Dica número:

  1. Conheça as pessoas com quem trabalha : É importante, conhecer o perfil de nossos colegas de trabalho, saber como são profissionalmente. conheça um a um, descubra como cada um gosta de ser tratado. Há sempre aquele que gosta de mandar em todos, inclusive no Técnico de Segurança, estes são ótimos para receberem sugestões e se você for esperto faça o achar que a ideia é dele, ele irá adorar executa-la (afinal veio dele). Se houver oportunidade faça um elogio para o mesmo, quando algum supervisor estiver próximo, ele vai adorar, e se tornará um forte aliado da Segurança do Trabalho. Pense sempre, a Segurança em primeiro lugar, se é preciso fazer politica, faça.
  2. Escolha bem o seu super-herói: Nem sempre quem tem o cargo maior, é que tem influência sobre as pessoas no ambiente de trabalho. Veja quem é a pessoa mais influente no ambiente de trabalho e trate de se aliar a ela, as pessoas com certeza se simpatizaram com você, pois se quem tem influência com eles gosta de você, porque eles não gostariam.
  3. Aja com equidade para com todos: Não deixe de cobrar o uso de EPI’s de algumas pessoas, só porque possuem cargos superiores, lembre-se a segurança vem de cima para baixo, conscientize a gerência, da importância do bom exemplo. E lembre-se você esta proibido de deixar de dar o exemplo, não de abertura para jogarem na sua cara, que nem você faz segurança, e como quer cobrar dos demais?
  4. Não seja um policial louco para pegar o ladrão no pulo: Seja companheiro dos colaboradores, mostre que não esta ali para pega-los no erro, apenas para lembra-los de fazer o trabalho de forma segura e utilizando os EPI’s corretamente. Que esta sempre visando a saúde e a integridade física de cada um deles. Costumo dizer para os meninos que trabalham comigo, que acredito neles e tenho certeza que eu estando perto ou não, vão ter sempre um comportamento seguro. Nem todos devem agir assim, mas com certeza em algum momento devem se lembrar disso.
  5. Seja cordial, mas se preciso aja com firmeza: Procure ser sempre simpático e cordial com todos, mas se não for o suficiente, seja firme e reze a legislação, acompanhada de uma comunicação disciplinar, tem pessoas que só aprendem se assinar um documento.
No mais seja você mesmo, e AME O SEU TRABALHO.
Um abraço fraterno!
Andréia Lima

A síndrome do “quando eu” deveria acabar na infância, pois quando crianças falamos, “quando eu crescer”, vou fazer isso, aquilo e etc..

Porém existem adultos, que vivem na fase do “quando eu”. “Quando eu” arrumar um novo emprego, vou fazer o meu melhor. Sinto dizer que deveria começar a fazer o seu melhor já, pois se não esta fazendo seu melhor, a empresa atual não tem como ser melhor com você. Devemos dar o melhor, para exigirmos o melhor, se você fizer o melhor e não for reconhecido, mude de emprego, mas não suje sua imagem profissional, deixando de fazer o correto, faça sempre por você.

Há ainda aquelas pessoas que falam, “quando eu” tiver o cargo “TAL”, vou agir assim, preciso lhe informar que se você quer ocupar determinado cargo, aja como se já o ocupasse, não estou dizendo para passar por cima dos outros, mas tenha atitudes que leve as pessoas que podem lhe promover, a perceber que você tem capacidade, responsabilidade e conhecimentos para tal ocupação. Vou citar um exemplo pessoal, sou formada em Segurança do trabalho, mas atuava na área administrativa, comecei a ser prestativa com meus colegas da área de Segurança  a ajuda-los a elaborar documentações e a solucionar questões do setor, comecei agir como Técnica, logo comecei a ser chamada para as reuniões de Segurança e quando surgiu uma vaga pleiteei a mesma, e hoje atuo como Técnica. Me tratavam como Técnica de Segurança antes mesmo de eu ter o registro em carteira. Não digo para ser invasivo e se meter no trabalho alheio, mas seja cordial e se coloque a disposição, comece a ajudar quando o colega estiver atarefado, mas se você for do tipo que diz “isso não é problema meu”, esquece, gente assim não é promovida.

Pense nisso, aja como “tal” e um dia você será.

Um abraço fraterno!

Andréia Lima

VOCÊ É REALMENTE O DONO DA SUA VIDA?

Publicado: 12 de julho de 2011 em Motivação

Algumas pessoas responderiam que Deus é o dono de suas vidas, com certeza faço parte deste grupo de pessoas.

Porém quando falo de vida neste artigo, não é da energia que move, o nosso corpo. Falo dos nossos desejos, vontades, sonhos e realizações. Costumo dizer, que Deus quer o melhor para cada um de nós, mas nos compete fazer a nossa parte.

Esta semana ouvi de uma pessoa muito querida, que resolveu tomar conta de sua vida, e assumir o leme de seu barco, que estava cansada, pois passou a vida fazendo o que os outros achavam certo.

Quando jovem fora sua mãe quem lhe dizia o que fazer, depois casou-se e passou a ser o marido, depois separou-se e passou a fazer o que os filhos lhe diziam, ou seja nunca fez algo por conta e risco.

Sempre foi muito deprimida, e sofreu muito com isso, seus filhos sempre esperavam que ela ,  os orientasse e os ajudassem com os problemas, porém ela fazia o seu melhor, mas não conseguia atender as necessidades que os mesmos tinham.

Consegui compreender este período de inércia da mesma, pois tive há dez anos atrás uma experiência de seis meses num processo depressivo, e isso me levou a entender melhor as pessoas deprimidas, e  a uma busca continua pela motivação. Tenho um imenso prazer em dizer que colaborei muito, para esta pessoa mudar de vida, que me senti muito orgulhosa de ouvi-la dizer que daquele dia em diante faria apenas o que ela tivesse vontade.

Num artigo anterior falei sobre assertividade, sobre a importância de deixar de ser uma pessoa passiva, e aprender a defender-se e dizer não da maneira adequada. Falei muito sobre isso com ela, e graças a Deus ela conseguiu progredir bastante. Outra coisa boa que aprendi, é que se pode voltar a sorrir depois da depressão e que se soubermos tirar proveito do sofrimento, crescemos e muito no relacionamento interpessoal, inclusive se aprende a desenvolver a empatia.

Essa pessoa querida é minha mãe, e com certeza aprendi muito com seu sofrimento.  E o mais importante, é aprender a se amar, se valorizar e a dizer NÃO quando preciso. Pode ter certeza as pessoas que gostam de você vão querer vê-lo feliz e tomando as decisões de sua vida. Esperei quase trinta anos mas valeu a pena ouvi-la dizer, eu vou fazer isso e pronto.

Um abraço fraterno!

Andréia Lima

A RENOVAÇÃO DA ÁGUIA

Publicado: 7 de julho de 2011 em Motivação

“A LIBERDADE É UMA CONQUISTA, O SUCESSO É UM PRÊMIO E A RENOVAÇÃO É O ÚNICO CAMINHO, PARA SE CHEGAR AOS NOSSOS OBJETIVOS”.

Para os que não viram este vídeo, digo que vale a pena, e para os que já assistiram, vale a pena ver de novo. Não preciso dizer nada, pois o mesmo fala por si só.

Um abraço fraterno!

Andréia Lima

UMA INTRODUÇÃO À ASSERTIVIDADE

Publicado: 7 de julho de 2011 em Liderança

A assertividade é o meio-termo entre dois extremos: a agressividade impulsiva e a passividade derrotista.

Uma pessoa assertiva busca defender seus desejos, sem ignorar os dos outros. Faz abordagem direta, mas exprimindo respeito pela pessoa. Ouve e procura entender a perspectiva do outro. Aceita acordos e soluções integradoras. Expõe claramente suas posições, opiniões e sentimentos.

Aprender a ser mais assertivo pode leva-lo a uma maior liberdade emocional, de maneira geral. As pessoas pouco assertivas, passivas e inibidas costumam ter dificuldades para expressar emoções como ternura e afeição.

Um dos maiores benefícios de aprender a ser assertivo é que seu senso de liberdade e autoestima aumentarão.

Uma mensagem assertiva pode ser dividida em três partes:

  1. Resuma os fatos da situação.
  2. Expresse seu pensamentos e sentimentos.
  3. Apresente claramente seus desejos e necessidades, incluindo os benefícios para a outra parte.
Essa formula de três partes permite que você expresse suas preocupações sem ser agressivo.
É um erro confundir  ser assertivo com ser meramente direto ou grosseiro. Simplesmente levantar-se e acusar alguém de um erro ou incompetência é, quase sempre, uma tática ruim. Uma boa saída é conversar sobre nossos próprios erros antes de criticar os outros. a ênfase deve ser sempre em experiências e critérios objetivos, nunca nas deficiências das pessoas.
Um abraço fraterno!
Andréia Lima
Bibliografia:  As cinco habilidades essenciais do relacionamento, autor: Dale Carnegie Training, editora: Companhia Editora Nacional.